Dia 3 – IHRSA 2015 – Los Angeles: Lições dos maiores lideres e CEOs

adam-bryant_2O terceiro dia da IHRSA 2015 foi dominado pela prelecção de Adam Bryant , colunista do The New York Times, baseada no seu livro Quick and Nimble.

O seu livro teve origem uma análise muito simples que realizou: embora a imprensa de negócios entreviste CEOs há décadas, fazem-se sempre as mesmas questões, direccionadas para os planos competitivos e de crescimento, esquecendo-se que esta é apenas uma pequena parte do trabalho do CEO. O seu verdadeiro trabalho, 24 horas por dia, é liderar, gerir e construir uma equipa, criando um sentido de missão e promovendo uma cultura de alto desempenho.

Como fazem os CEOs essa gestão 24 horas por dia? Como é que aprendem a fazer essa gestão? Com perguntas simples e abertas como estas, Adam Bryant começou a entrevistar CEOs e outros líderes em 2009, e lançou o Corner Office no The New York Times, que rapidamente desenvolveu uma legião fiel de leitores.

Adam Bryant deixa alguns pontos importantes que os CEOs consideram fundamentais para o sucesso de uma liderança.

1. Definir Métricas
Para que os colaboradores possam alcançar resultados têm que ser definidos objectivos. Assim o colaborador saberá quando alcançou o seu propósito na empresa. Se não definimos métricas, os colaboradores vão fazer os seus próprios objectivos, que poderão desviar o foco do objectivo principal da empresa.

2. Preencha os Silêncios
Nunca deixe os colaboradores sem resposta. Nunca permita que eles tirem as suas próprias conclusões de uma situação passada na empresa. Esclareça as dúvidas e mantenha o foco dos colaboradores.

3. Respeito
Trate todos os colaboradores com respeito. Qualquer comunicação desrespeitosa provocará uma dor eterna no colaborador. Sempre que se lembrar da situação vai sentir-se mal e revoltado, ainda mais quando for desrespeitado em frente à equipa.

4. Tudo depende da Equipa
A empresa é uma equipa e uma família. Mas uma família onde cada um tem uma responsabilidade que caso não seja cumprida implicará a saída do colaborador. Não é uma família onde tudo ser perdoa.

5. Mantenha uma conversa adulta
Dê feedbacks no momento, não espere por mais tarde. Esforce-se sempre por dar feedback positivo e construtivo.

6. Não se deixe gerir pelo Email
O email pode destruir a cultura de uma empresa, simplesmente porque a comunicação não foi bem percebida. É difícil passar uma mensagem via email com a entoação que queremos. Adam Bryant leva até este assunto mais a sério e dá algumas sugestões interessantes:

  • Não continuar a discutir depois de dois emails trocados. Pegue no telefone, ligue o skype ou vá falar com a pessoa.
  • Não escrever emails quando algo pode estar em causa. A má interpretação pode colocar tudo a perder.
  • Envie menos emails, vai receber menos emails.
  • Desencoraje a utilização do envio de emails “com conhecimento”.
  • Simplifique o email, garanta que utiliza apenas até 5 linhas.

Por último Adam Bryant deixa uma lista de perguntas utilizadas pelos CEOs no recrutamento de novos colaboradores. Aproveite algumas para quando necessitar:

  • Qual é o seu super poder?
  • Como define sucesso para si próprio?
  • Numa escala de 1 a 10, quanto estranho/esquisito é? (mais importante que a resposta é a reacção à pergunta)
  • Se o tempo, dinheiro e talento não fossem fundamentais, o que gostava de fazer?
  • Qual é a maior percepção errada que as pessoas têm de si?
  • Se não existissem humanos no planeta, apenas animais, que animal seria?
  • Como se descreveria, na sua essência, em uma palavra?
  • Que qualidades gosta mais e menos nos seus pais?
  • Qual é o significado da vida?
  • Em que é que acredita que quase ninguém concorda consigo?
  • Descreva um momento em que esteve no seu melhor.
  • É uma pessoa com sorte? (esta é a única pergunta que tem uma resposta certa, pois devem-se procurar sempre colaboradores com uma mentalidade positiva, considerando serem pessoas com sorte)

Espero que este artigo lhe tragam novas ferramentas de trabalho.

Amanhã fechamos os resumos com o último dia da IHRSA 2015.

 

Mário Santos é Managing Director e co-fundador da All United Sports. Licenciado em Ciências do Desporto pela FMH e com formação executiva na London Business School e Católica Business School, é Mestre em Gestão pelo ISCTE.
« Voltar às últimas notícias