CrossFit com representação em Portugal

CrossFit com representação em Portugal

Pedro Pereira é o novo representante da marca CrossFit em Portugal.

Nascido no Porto e formado em Desporto, está dentro do mundo CrossFit desde 2010.

Começou por tirar uma formação de treinador de CrossFit em Londres e a partir daí, teve a certeza de que este era o caminho profissional que queria seguir. Em 2013 dá mais um passo no seu progresso e faz uma formação avançada de nível 2 em Barcelona.

“Nessa altura não havia ainda ginásios de CrossFit em Portugal”, recorda Pedro Pereira.

Com base na sua performance recebe um convite para começar a estagiar na marca onde dá apoio e colabora com a equipa CrossFit, e, no final de 2013 junta-se oficialmente ao CrossFit Webinar Staff.

Em 2014 ajuda a fundar a sua primeira Box, a CrossFit Durius no Porto e passados seis meses é convidado a trabalhar na The Bakery CrossFit em Lisboa. Em simulatâneo começa também a colaborar com outras duas boxes a CrossFit Restelo e CrossFit Rato, ambas do mesmo dono.

“O meu objectivo sempre foi muito claro, queria abrir o meu próprio espaço, e em 2016 abri o Off Limitis CrossFit, em Lisboa”, conta-nos Pedro Pereira. Entretanto já tem um segundo espaço sob o mesmo nome também em Lisboa.

Em Maio/Junho de 2020, dá-se uma mudança na gestão da empresa CrossFit na sede americana e a marca, antes muito focada para o negócio dentro de portas, começa a abrir horizontes e desenha uma nova estratégia de gestão internacional, onde se insere a gestão da marca através do papel de Country Managers.

Este novo cargo é assim atribuído a Pedro Pereira que passa a ter a função de estar a frente do País em termos de apoio e ponto de ligação entre aquilo que são as boxes ou os ginásios afiliados e a marca, em tudo o que seja desde a resolução de problemas ou potenciais problemas, pagamentos dos trade marks, problemas legais que possam exisitir, entre outros.

O conceito da CrossFit até ao momento era pagar o trade mark para se usar o nome e nada mais. Agora a marca vê no papel dos Country Managers uma forma dos afiliados terem um apoio extra aos seus negócios.

Este apoio serve não apenas para a divulgação das cerca de 100 boxes afiliadas existentes em Portugal, através de por exemplo de uma pagina Instagram que foi criada há 2 semanas, onde todos os dias são divulgados afiliados nacionais, mas está também já a ser desenvolvido em paralelo webinars, que são um misto entre partilhas de boas praticas, ideias, conselhos, e também de ferramentas úteis aos afiliados para que possam desenvolver os seus negócios.  “Vamos ter na próxima semana, no timing perfeito antes da reabertura esperamos nós, uma profissional na área legal a falar de imposições legais, documentação que deve estar pronta e atualizada, restrições impostas pelo governo no desconfinamento e qual a nossa posição quanto isso, etc.”

A ideia é de existir um webinar mensal que dê ferramentas aos afiliados para que possam continuamente desenvolver os seus negócios e as suas visões.

Em paralelo está a ser desenvolvido ainda um projecto a nível mundial chamado “The Roud Tables, que será um projecto de partilhas de grupos íntimos de trabalho estrategicamente definidos, que duram entre 2 a 3 meses, com o objectivo de ter pequenas conversas de 1 hora por semana.

Outra mudança que a nova gestão da CrossFit trouxe foi retomar os Games, torneio que é visto como a montra do desporto, e da comunidade. Uma inspiração para quem pretende sempre melhorar e procurar motivação para os seus treinos. Na fase do Open (fase inicial dos Games) toda a comunidade tem a oportunidade de participar, sendo já uma tradição de superação, união e camaradagem.

Atualmente o CrossFit em Portugal passa pelo desafio de ter sido obrigado a transferir todo o seu modelo de negócio para o online, o que, sendo um desporto de grande sentimento de comunidade, não tem sido fácil trespassar essa comunhão para o mundo virtual.

Quando os espaços reabrirem, o desafio seguinte, será o de se conseguir rentabilizar um negócio, quando a limitação do número de praticantes dentro das boxes está limitada e por outro lado, conseguir mostrar às pessoas que as boxes são espaços seguros, com todas as mediadas de segurança implementadas e de distanciamento social.

Ainda assim a marca em Portugal encontra-se saudável, com a constatação de já cerca de 10 boxes terem retornado à afiliação, coisa que não acontecia há mais de ano.

« Voltar às últimas notícias