As vantagens de ser social no Facebook. Por Paulo Pinheiro

Um estudo efetuado pela Marktest em 2013 revela que aproximadamente cerca de 40% da população portuguesa utiliza e/ou tem conta no Facebook. Por isso, falar dos Portugueses nas redes sociais significa essencialmente falar dos Portugueses no Facebook, apesar de outras redes, como por exemplo o Instagram, estarem também em franco crescimento.

Sobre o mesmo estudo, e porque é relevante para este texto, interessa ainda revelar que 66% segue marcas nas redes sociais e que 17% considera que o fato de seguir ou ser fã de uma empresa ou marca nas redes sociais tem muita influência nas opções de compra da marca.

GráficoMKTPor isso, e porque estes dados são praticamente senso-comum, todo o ginásio que se preze tem hoje em dia uma página no Facebook, onde divulga e promove algumas aulas e serviços. Outros vão um pouco mais além criando grupos ou comunidades ou páginas de eventos. Pois a grande questão é que, apenas com isto, para além da socialização, dos Gostos e de contar os amigos ou fãs☺, pouco mais se obtém do que num sitio institucional. E no entanto, as Redes Sociais são potenciais focos de marketing viral… então o que falta?
Falta aproveitar o que o Facebook sabe sobre as pessoas e o que você pode saber sobre elas, sem entrar no domínio da violação da privacidade.
No que respeita ao que o Facebook sabe sobre as pessoas podem ser criados anúncios segmentados por faixa etária, sexo, estado civil, nível académico, áreas de interesse, etc. Pode ainda ter como target pessoas ligadas (ou não ligadas) ou que têm amigos ligados a determinadas páginas. Quanto mais segmentar, menor será o público-alvo e o alcance potencial do anúncio, mas o anúncio será mais focado e mais barato. E ainda tem a grande vantagem de poder limitar o custo do anúncio ao seu orçamento.

Até aqui está apenas a utilizar as ferramentas que o Facebook coloca à sua disposição. Já no sentido daquilo que você pode saber sobre as pessoas que utilizam o Facebook entra-se numa área mais sensível, e já precisa de ajuda de outras ferramentas. E claro, da autorização da pessoa! O objetivo é conhecer melhor o seu cliente … e os amigos do seu cliente… e os amigos dos amigos do seu cliente… Não é o que faz quando solicita aos seus consultores que peçam referências? Ao fazê-lo, está a criar a sua rede. O que queremos é criar a rede virtual de forma a podermos analisá-la e estudá-la de forma automática para obter o melhor que ela tiver para dar.
Pode começar por solicitar aos seus clientes a sua página do Facebook (o nick ou nome no Facebook pode ser mais fácil de solicitar e obter) e liga-la à ficha de sócio do clube. Assim, pela simples utilização da sua aplicação pode aceder à área do Sócio no Facebook e acompanhar as suas publicações e os seus interesses. Isso vai com certeza facilitar o diálogo… E já agora, solicite também a ligação a página do Ginásio.

Se não quer ser tão direto na solicitação do endereço do Facebook, pode utilizar ferramentas para os localizar ou utilizar Apps na sua página que exijam a autenticação do Sócio para lhe prestarem um determinado tipo de serviço, como por exemplo a consulta do mapa de aulas, a reserva de vaga numa aula ou a consulta da sua avaliação da condição física e/ou prescrição do treino. É importante que tenha presente que o Sócio terá sempre de autorizar a recolha dos dados…

Depois de criada a sua rede, pode utilizar produtos adicionais, como o NodeXL, que lhe permitem obter em Excel dados da sua rede – de forma direta, sem necessidade de programação – e produzir uma visualização personalizada da mesma para obter, por exemplo, informações sobre quem são os utilizadores-chave (com mais ligações), quem são os utilizadores que raramente participam nos seus eventos, quem são os que mais comentam, etc..
No final, é só colocar a sua criatividade a funcionar para dar proveito a toda a informação que obteve. De certeza verá os resultados no dia-a-dia…

 

Paulo Pinheiro é responsável pelo desenvolvimento de software da CEDIS, tem 25 anos de experiência em análise e desenvolvimento de Software e é Licenciado em Informática pela UAb.
« Voltar às últimas notícias