5 pontos a ter em conta quando contratamos um Group Trainer. Por Jorge Machado.

“A chave do sucesso está em escolher os melhores e mais adaptados para as suas equipas!”

1.    Paixão e querer.
Como encara a profissão, qual o desejo que o move?
A paixão dá-nos impulso e o querer dá-nos longevidade orientada.
Sendo esta actividade de prestação de serviços orientada para a satisfação do cliente, num dos ambientes mais exigentes onde se cruzam os aspectos mentais e físicos em situações de desconforto, a questão do querer é crucial para manter uma acção consistente e forte a nível motivacional em busca dos resultados  dos clientes, só o querer poderá fazer superar as exigências que aparecerão diariamente onde teremos que ter ainda em conta, que grande parte do sucesso depende das acções realizadas pelo cliente, do qual depende também o nosso resultado.
Screen shot 2014-10-07 at 3.45.14 PM
2.    Disponibilidade.
O profissional deve ter a sua expectativa alinhada sobre a disponibilidade exigida para uma actividade deste género, a questão dos horários não é tão certa como um emprego do tipo “9 às 5”. Neste ponto, deve ser considerado não só o aspecto físico da presença como também o aspecto psicológico do estar presente.
Sendo que cada caso é um caso, e que cada praticante tem necessidades próprias e específicas, sem deixar de parte os seus objectivos e as suas condicionantes do seu dia-a-dia, o Group Trainer terá de apresentar uma forte disponibilidade para que faça sempre parte da solução e não do problema ou objecção para não treinar.

3.    Competências e conhecimento especifico da actividade.
As competências são identificadas com provas dadas no terreno, com resultados já alcançados na sua vida profissional, no seu percurso. Qual o seu historial, que resultados já alcançou?
O conhecimento dá-nos garantias que terá as ferramentas de base para enfrentar as exigências específicas da actividade, ou pelo menos, estará num registo consciente das suas acções. Este ponto é fundamental se quisermos aplicar uma avaliação de desempenho em busca do melhoramento sistemático e sustentado.
O conhecimento nesta área de actividade deve estar actualizado com a evolução da própria profissão, enquadrado com as novas tendências e com as melhores práticas. Qual a sua formação? É consistente, actual e alinhada com a própria missão da empresa? Tem formação especifica em metodologia de actividades de grupo?

4.    Maturidade e resiliência.
Maturidade no sentido de olhar primeiro para os objectivos do grupo em vez dos seus próprios objectivos e interesses, e resiliência para manter o seu equilíbrio, motivação e desempenho face às adversidades.
Estes aspectos são detectados pela atitude revelada, o desempenho e os seus resultados dependem da atitude demonstrada pelo Group Trainer.

5.    Espírito de missão quanto ao trabalho em equipa.
Entender e identificar-se com a missão da organização e ser capaz de assumir uma postura favorável ao trabalho em equipa, remando todos para o mesmo lado.
Esta profissão caracteriza-se fortemente por estabelecer ligações entre pessoas, só possível se fizermos parte de uma equipa sólida, forte e perfeitamente alinhada com os objectivos, só assim podemos ambicionar influenciar de forma positiva e eficaz.

________________________________________
Nota: Todos estes pontos podem ser identificados com um processo de recrutamento orientado para tal, tendo em conta que só a atitude e as acções poderão fazer prova de uma promessa ou expectativa, sendo que é necessário um processo de avaliação de desempenho sistemático e controlado para que tal seja comprovado.

Jorge Machado é advisor na All United Sports,  licenciado em Gestão do Desporto pelo ISMAI e uma referência incontornável na metodologia e leccionação de aulas de grupo e gestão de equipas.

 

« Voltar às últimas notícias